ATÉ ONDE QUEREMOS CHEGAR?
“Até onde a vontade quiser e a realidade permitir.”


Planear o crescimento de uma organização é um fator crucial para garantir o crescimento. Muito se fala de Estratégia, Planeamento e Táticas, mas será que no dia a dia, estamos cientes de que o nosso trabalho está alinhado com aquilo que planeamos? Será que mantemos a rota? Será que todos os colaborados internos e externos compreendem o nosso propósito? E os clientes?

Estas são apenas algumas das perguntas mais simples que devemos colocar todas as vezes que paramos para pensar na nossa empresa. Surgem quando paramos de apagar fogos e tratamos do nosso bem mais preciso. Por sinal, algo que até deveríamos fazer com mais frequência do que o habitual.
— Como você estrutura a estratégia da sua empresa?
— Até onde quer chegar?
— Como quer ir e em quanto tempo?
— Como sabe que está a ir no bom caminho?

Descobrir uma Estratégia Empresarial não tem de ser um esforço tremendo, muito menos tem de se resumir a um almanaque de 500 páginas. Saber responder a algumas questões essenciais, medir os resultados e fazer ligeiros ajustes, pode fazer toda a diferença.

Organizar recursos, definir metas concretas, traçar responsabilidades, estabelecer prioridades consoantes as necessidades [curto, médio e longo prazo] e distribuir tudo isso num calendário, é o suficiente para ter como recompensa um crescimento sustentável.

Apesar deste tipo de decisões partir da direção executiva, não devem ser implementadas sem um comunicado e debate prévio com toda a equipa.
É importante que todos tenham uma voz, que todos saibam o que devem fazer, quando devem fazer e o resultado que procuram atingir.
O alinhamento interno é imprescindível para o bom funcionamento e assegura um ambiente de trabalho satisfatório.


Hoje vamos traçar o típico método, dividido em 3 fases, para que possamos definir a nossa Estratégia Empresarial e comprometermo-nos com uma ampliação do nosso negócio.

>>> FASE I
Iniciamos este estudo com a perceção do ponto de partida, o ponto A.
O ponto em que neste momento a nossa organização se encontra e qual a sua situação real.
Vamos desdobrar este primeiro exercício em 5 dimensões estratégicas.

#01 VISÃO E MISSÃO
— Excluindo o fator dinheiro, o que o fez avançar com a ideia de negócio?
— Esta ideia é contada através de alguma história?
— Quando pensa na sua cultura organizacional, está contente com o que vê?
— A sua cultura interna está alinhada e os colaboradores remam no mesmo sentido?
— Qual a sua proposta de valor?

#02 PRODUTOS E SERVIÇOS
— Os produtos existentes fazem parte todos da mesma família?
— Estão todos debaixo de uma marca mãe, ou cada um funciona por si?
— Estes são comunicados pelas suas características ou benefícios?

#03 ECONOMIA E GESTÃO
— Qual o preço médio por produto ou serviço?
— Qual a sua faturação anual?
— Qual a sua margem de lucro?
— Quantos clientes fazem parte da sua rede?
— Qual a média de transação por cliente?

#04 PÚBLICO-ALVO E AUDIÊNCIA
— Está contente com o típico cliente?
— Ele perceciona o valor merecido?
— De onde surgem os seus clientes?
— Os clientes atuais recomendam a sua marca?

#05 CONCORRÊNCIA E MERCADO
— Que posição ocupa no mercado?
— Qual o seu maior concorrente?


>>> FASE II
Após uma análise do Ponto A, passamos para a segunda fase do nosso trabalho.
Mesmo que a nossa vida esteja calejada e descrente, aqui e agora, voltamos a sonhar e a pensar sem julgamento. Até onde o nosso negócio pode chegar.
Onde é o ponto Z do nosso maior objetivo organizacional.

Agora sim, podemos pensar em dinheiro.
Temos só em atenção que não vamos disparar um número irrealista nem uma meta muito fácil de atingir.
É importante que o nosso ponto Z, faça sentido com aquilo que apuramos anteriormente. Se faturamos 100.000€ este ano, não real que queiramos faturar 1 milhão no próximo ano. Até pode acontecer, mas é pouco provável.

Com base nas respostas anteriores, vamos agora definir uma nova meta em concreto. Vamos pegar ponto a ponto e com rigor vamos definir onde queremos chegar.
— Quais os novos objetivos em termos culturais e organizacionais? [dimensão 01]
— Onde queremos chegar com a introdução ou exclusão de produtos? [dimensão 02]
— Que metas financeiras queremos atingir? [dimensão 03]
— Mantemos o público-alvo ou redirecionamos a nossa escolha? [dimensão 04]
— Que cota de mercado queremos alcançar? [dimensão 05]


>>> FASE III
Agora que temos bem definido o ponto A [onde estamos] e o ponto Z [para onde vamos], chega a altura de identificar como vamos lá chegar.

Podemos optar por ir a pé, devagar e apreciar as vistas, ou podemos ir de avião a jato. Isso depende dos recursos financeiros e da disponibilidade e capacidade da equipa de trabalho.

Nesta terceira fase, é importante dividirmos todas as opções em pequenos blocos de atuação.
Podemos distribuí-los por prioridades e por prazos de execução consoante os retornos esperados.

Saber esperar é uma característica e ter paciência é uma característica fundamental de todos os executivos. Os primeiros dados vão surgir com o tempo e nós teremos o prazer de avaliar a nossa prestação como gestores.

Após a implementação estratégica, está na altura de percebermos se estamos efetivamente a ir no bom caminho.
É provável que os resultados que mais ansiamos não surjam de imediato, mas foi por isso que anteriormente fizemos questão de os distribuir por curto, médio e longo prazo.

Depois de uma análise detalhada dos primeiros resultados, fazemos afinações e ajustes necessários. É provável que em alguns casos, determinadas táticas não surtiram efeito. Tentamos perceber o porquê e dependendo da situação, ou a abandonamos por completo ou estabelecemos um novo prazo para que possam surgir os efeitos mínimos.


Se por alguma razão estamos preocupados com a nossa situação organizacional, está na altura de repensar toda a Estratégia.
A verdade é que se procuramos novos resultados, não vai ser a fazer as coisas como sempre se fez, que os resultados vão aparecer.

Dê uma nova oportunidade à sua empresa e trabalhe aspetos que ficam esquecidos durante o seu trabalho diário.



- - -
Complemente a sua descoberta estratégica com ainda mais perguntas.
Faça aqui o downlod dos nossos workbook
© Francesco Ungaro